O que ninguém te conta
Mochilão sozinha: O que ninguém te conta sobre o início desse sonho

Mochilão sozinha: O que ninguém te conta sobre o início desse sonho

Hoje eu resolvi abrir o meu coração e falar sobre os motivos que me fizeram iniciar um mochilão sozinha, com passagem só de ida comprada para o Chile.

Para isso temos que voltar um pouquinho na minha vida, com 14 anos comecei namorar, sempre fui acostumada a ter alguém comigo, acostumada a dividir a minha vida. Eu nunca fiquei sozinha de fato, casei com esse namorado aos 19 anos. Aos 24 anos estava divorciada, foi uma época muito dolorida da minha vida, mas eu cresci muito, deixei de ser uma menina para me tornar mulher. É importante eu salientar que eu não costumava viajar naquela época minhas viagens era para casa de parentes e praia, vivia uma vida completamente diferente da que eu vivo hoje.

Fiquei solteira por poucos meses, pois já comecei a namorar novamente, mas dessa vez eu queria viver algo novo, a nova Sthefany não estava aceitando viver a mesma vida de antes. Algum problema com aquela vida? Não. Mas eu já tinha vivido a experiências de ter uma vida como aquela, a qual eu não queria mais.

Conheci o Will, meu namorado atual, vamos fazer quatro anos juntos em 2022. Desde o começo, nós dois só queríamos viver coisas completamente diferentes e insanas, coisas das quais jamais pensamos em fazer quando estávamos casados. Com 6 meses de namoro, decidimos fazer uma viagem incrível para o Deserto do  Atacama no Chile com nosso carro 1.0! Acredite, foi a melhor coisa que eu já fiz em toda a minha vida (até então), nós não falávamos espanhol, nunca tínhamos viajado para outro país, mesmo assim, decidimos arriscar! Até por que, a frase “só se vive uma vez”, era quase um lema.

casaldemartenodesertodoatacama
Deserto do Atacama, Chile. Adquira nosso e-book de como viajar ao Deserto do Atacama com um carro 1.0 por apenas R$ 9,90

Essa viagem mudou nossas vidas para sempre!

Depois disso, fizemos várias outras viagens, essa vontade de conhecer o mundo estava crescendo cada vez mais dentro da gente.

Mas no início de 2020 pouco antes da pandemia, eu vivi o pior dia da minha vida! Perdi quem eu mais amava na minha vida, minha mãe. Ela era simplesmente tudo pra mim, eu sempre estive com ela, éramos melhores amigas de verdade! Contávamos tudo uma para outra, eu realmente era apaixoanda por ela. Éramos muito apegadas, ela era tudo o que eu tinha, foi devastador pra mim, e tem sido até hoje.

Eu precisava me agarrar em alguma coisa, focar meus pensamento em algo para o qual eu pudesse me dedicar, então todos os meus esforços estavam sendo focados em um novo projeto, foi onde nasceu o projeto: PARTIU SC 295, objetivo é conhecer todas as 295 cidades de Santa Catarina, compartilhando todo esse rolê no Instagram @casaldemarte

projetopartiusc295

Estava tudo indo muito bem, mas eu comecei a depender do meu namorado cada vez mais. Eu estava me tornando uma âncora na vida dele, completamente dependente dele para tudo, eu não fazia mais nada sozinha, eu só ia fazer coisas se ele estivesse junto. Nós tivemos uma conversa muito sincera sobre isso, pois ele é o tipo de pessoa que não gosta que as pessoas sejam dependentes uma das outras, não faz sentido pra ele, foi onde eu passei a entender muitas coisas sobre a vida. Com tudo o que eu tinha vivido e depois dessa conversa, algo despertou dentro de mim, percebi que eu não não poderia mais ser do jeito que eu era.

Iniciei o curso de guia de turismo (ao qual o Will me ajudou financeiramente), fiz uma viagem técnica e na volta pra casa pela primeira vez na minha vida, eu peguei um ônibus sozinha (Florianópolis-Blumenau) houve um acidente e eu fiquei 8 horas dentro desse ônibus, comecei imaginar como seria fazer viagens sozinha e mandei uma mensagem para o Will, falando que eu iria começar a viajar sozinha. Meses se passaram e eu não programei essa viagem.

A vida continuou normal, mas um dia eu me peguei olhando pela janela do meu trabalho, eu via as pessoas andando na rua, via os carros, eu olhava a vida passa lá fora e eu parada ali, senti que aquele não era o meu lugar. Eu gostava do meu trabalho, era muito bom pra mim, mas infelizmente não era o que eu estava buscando, afinal de contas, eu ainda não sei o que estou buscando.

naestradacomsthe (2)
Salinas Grandes, Argentina

A conversa com o meu namorado abriu muito a minha cabeça, pois não fazia sentido ser dependente dele. Perdi quem eu mais amava na minha vida, o que é um relacionamento mediante a perda que eu tive?

Com isso tudo acontecendo na minha cabeça, decidi do dia para a noite que eu iria fazer um mochilão.

Ta Sthé, mas você vai largar seu emprego, casa, rotina, trabalho, família e o seu namorado para fazer isso?

Sim.

O maior icentivador que eu tenho é o Will (eu te amo, sério!), e serei eternamente grata por cada uma das coisas que fizemos juntos, das que vamos fazer e pelas coisas das quais ele está me incentivando a fazer. Ele sabe que eu nasci para ser uma borboleta, e não é ele que será o meu casulo. E, quando eu decidir voltar pra casa, espero que ele esteja ali, me esperando.

Minha família também tem sido incrível! Minha irmã mais velha tem me ajudado de uma forma que eu jamais imaginei. Meu pai, por mais que eu saiba que ele não queria que eu fosse, tem me ajudado. Meus tios (que são meus segundos pais), ficaram mega felizes com a notícia! E cada um dos meus amigos estão sendo maravilhosos, não sei o que eu seria sem cada um de vocês!

Eu tenho certeza que da onde minha mãe estiver, ela estará cuidando de mim e torcendo por cada sonho meu que estou realizando.

Eu jamais imaginei que faria algo parecido com isso. Estou realizando um sonho que eu nunca tive!

Não vou mentir, dói. Dói pensar que estarei longe de todos eles. Entro em pânico toda vez que penso como vou fazer para chegar nos lugares, que vou lidar com outro idioma, que vou ter que me virar SOZINHA para resolver meus problemas, pela primeira vez em 28 anos. É ASSUSTADOR, mas eu sinto que é algo que eu preciso fazer por mim.

Quer acompanhar essa saga toda? Me siga no Instagram Na Estrada com Sthe, no Youtube, e aqui no Blog.

Hoje enquanto eu escrevo, faltam exatos 12 dias para a minha viagem, ansiedade a mil!

Espero que dê tudo certo ♥

Até o próximo post.

naestradacomsthe (4)

Beijos Sthé

 

1 thought on “Mochilão sozinha: O que ninguém te conta sobre o início desse sonho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *